08 janeiro 2007

O Nó...


















Naquela noite fria, Lisboa lembrava-nos que o Natal estava perto.
Ela estava triste, sabia que mais um fim se aproximava.
Desde sempre tentou dar um rumo há sua vida, tentou com as forças, as que ainda tinha, começar de novo, tentou acreditar. Quis. Amou.
Naquela noite ao passar pela praça do comércio, viu a Árvore de Natal, a ser montada.
Uma lágrima ainda teimou em cair.
Recordou o ano que passou. Recordou com nostalgia, o Natal passado.
Recordou ele e o menino, os dois, de mãos dadas, ele a pegar-lhe ao colo para ver melhor a árvore, a cumplicidade dos três. A importância que tinham na vida um do outro e o medo, sempre o medo. Talvez não de ser infeliz mas de ser feliz. Recordou depois as suas escolhas... a tristeza e a mágoa que acarretaram as mesmas.
Algures, lembrou-se também, da nova tentativa em vão que fez para ser feliz.
De como a vida é engraçada e nos prega partidas.
Sabe que a vida é um círculo, às vezes fechado.
Pensou se teremos sempre retorno de todas as coisas más que fazemos, mesmo sem intencionalidade de tal...
Ela tem um nó na garganta, há muito... penso que nunca admitiu porquê... não consegue seguir em frente, como se tivesse fechado uma porta.
Independentemente do que sente, sabe que a sua escolha foi irreversível, o nó que teima em não sair, mostra-lhe isso todos os dias...


imagem: images.com

6 comentários:

chuvamiuda disse...

.............

a vida é feita de abrir e fechar gavetas

ou portas

alguma teimam em custar a fechar

assim é

o importante mesmo importante

é ter saudades do futuro

naturalmente respeitando o passado, mas apenas isso

.................

Beijo e boa semana

Anónimo disse...

O perdão mais importante é o nosso... Não sei porque é que teimamos em dificultar-NOS a vida! Se os que amamos merecem o nosso perdão nas situações mais difíceis, porque é que nos condenamos a nós próprios ao purgatório eterno?! Que perda de tempo precioso! Uma boa sessão de auto-flagelação, uma lição bem tirada à custa de muito choro e o PERDÂO! E pronto! A vida continua! Ela PODE continuar! Não somos piores pessoas por ela continuar! Não somos piores pessoas por recuperarmos a preciosa capacidade de sermos felizes!!! Porque é que é tão difícil aceitar isto?

Marie disse...

O importante é que aproveites as pausas para te ires conhecendo um pouco mais, para reflectires e tirares conclusões do que passou...

Dá-te um tempo... dá um tempo à vida... deixa as marés acalmarem para saberes a que porto queres rumar...

Um beijo

chuvamiuda disse...

.........

Bom Dia


Beijinhos

Alma Nova disse...

Minha amiga, a vida nem sempre é fácil e por vezes prega-nos partidas que não sabemos de onde vêm, nem porquê. Mas nós próprios também não facilitamos, com a nossa irreversabilidade. Em qualquer dos casos, amiga, o que importa é endireitar os ombros, levantar a cabeça e seguir em frente. a vida continua lá, sempre presente, à nossa espera. Força, amiga, mereces tudo de bom! Jokitas.

Anónimo disse...

"sabia que mais um fim se aproximava.
Desde sempre tentou dar um rumo há sua vida, tentou com as forças, as que ainda tinha, começar de novo, tentou acreditar. Quis. Amou."

por esse motivo, é talvez a fase do ano mais difícil pra mim!


"e o medo, sempre o medo. Talvez não de ser infeliz mas de ser feliz."

também já o senti...


"Sabe que a vida é um círculo, às vezes fechado.
Pensou se teremos sempre retorno de todas as coisas más que fazemos, mesmo sem intencionalidade de tal...
Ela tem um nó na garganta, há muito... penso que nunca admitiu porquê... não consegue seguir em frente, como se tivesse fechado uma porta.
Independentemente do que sente, sabe que a sua escolha foi irreversível, o nó que teima em não sair, mostra-lhe isso todos os dias..."

... (o nó)...