12 dezembro 2006

Amor da minha vida...

O amor da minha vida eu encontrei, tem nome,
é de carne e osso e me ama também.
Agora, falta encontrar alguém com quem possa me relacionar.

É que o homem da minha vida não cabe em mim e eu não caibo nele.

Não bastam nossos namoros longos, os rompimentos e a teimosia de desejar mais daquilo que não há de ser.

Não presta que ele me visite para acabar com as saudades e fuja correndo de pernas bambas e um bumbo no peito.

Não basta que haja amor para viver um amor.

Seus mistérios me perturbam e minha clareza o ofusca.
......
O desacerto é de lascar e não há cama que resista a tantas reconciliações...um dia a cama cai.

Esta semana, fui ver a "Ópera do Malandro". ...
....
Naquela noite, inspirada pelo Chico, voltei pra casa decidida: não quero mais o amor da minha vida, ocupando o lugar de amor da minha vida. Venho, portanto, pedir a ele publicamente que libere a vaga. É com você mesmo que estou falando, você aí que se instalou feito um posseiro dentro do meu coração, faça o favor de desinstalar-se. Xô.

Há de haver um homem bom me esperando...

Um homem que aprecie o meu carinho, que goste do meu jeito, fale a minha língua e queira cuidar de mim. As qualidades podem até variar, mas aos interessados, se houver, vou avisando: existem defeitos que considero indispensáveis.

Meu amor tem de ter uns certos ciúmes e reclamar quando eu viajar pra longe.

Pode se meter com a minha roupa, com o corte do cabelo e achar que sou distraída...
.....
Desejo, enfim, que o meu amor me reprima um pouco, que me tolha as liberdades - esse vôo alucinante e sem rumo anda me dando um cansaço danado.

Autoria de Maitê Proença

4 comentários:

chuvamiuda disse...

...........
não li esse tal último


seja como for

escreve apaga escreve
começa de novo
até fiacres preenchida
..............


Beijinhos e Bom dia

PARTILHAS disse...

O homem bom, que seja BOM!

Beijos

Alma Nova disse...

No amor todo o relacionamento é possível desde que cada um esteja disposto a aceitar e a dar na mesma medida. Desistir d'O Amor em prol de outra coisa qualquer, seja estabilidade, segurança ou, tão simplesmente, a presença diária,apenas significa que afinal não era O Amor. Jokitas.

SoNosCredita disse...

ando pra colocar umas passagens desse texto no meu bloguito... :)