10 agosto 2006

Calhou-me este...
















ESTE INFERNO DE AMAR

Este inferno de amar - como eu amo!
Quem mo pôs aqui n'alma... quem foi?
Esta chama que alenta e consome,
Que é vida - e que a vida destrói -
Como é que se veio a atear,
Quando - ai quando se há-de ela apagar?

Eu não sei, não me lembra: o passado,
A outra vida que dantes vivi
Era um sonho talvez... - foi um sonho -
Em que paz tão serena a dormi!
Oh! que doce era aquele sonhar...
Quem me veio, ai de mim! despertar?

Só me lembra que um dia formoso
Eu passei... dava o Sol tanta luz!
E os meus olhos, que vagos giravam,
Em seus olhos ardentes os pus.
Que fez ela? Eu que fiz? - Não no sei;
Mas nessa hora a viver comecei...

Almeida Garret


imagem: images.com

6 comentários:

Ines disse...

Amores.
Animam - porque emprestam uma vida nova.
Mas às vezes dão-nos a volta à vida!!!!

Seja como for - é tão bom saber que em nós há essa capacidade para amar.

GK disse...

:) É mesmo isso...

Bj.

misty disse...

Cou cou!

"tão a gente não diz nada?... hum???

bjokas

Ivo disse...

Olá Stela...

Queria agradecer o comentário que deixaste na «Toca»!!

Como podes reparar... Fui... Mas o vicio pela blogosfera é demasiado!! E voltei... num outro espaço!!
A Toca, ficará para sempre nas minhas memórias, nos cd's que tenho gravados com ela, em pedaços de papel... Mas foi um blog que começou com um propósito (que acbou por nunca alcançar, antes pelo contrário... caminhou e alcançou o inverso do pretendido)!! Agora estou num outr espaço.... é recente!!

Obrigado! Beijos!! Espero pelas tuas visitas...

Pedro Sousa disse...

Obrigado pela visita no meu blog.Dá uma vista de olhos por lá que deixei um comentário para ti.

Parabéns pelo teu blog, gostei bastante.Alguns textos são mesmo muito bons.

Adicionei o teu blog aos meus recomendados por considerar que este têm bastante qualidade.

Bjs

Pedro Sousa

http://blogdoengenheiro.blogspot.com/

SoNosCredita disse...

lindooooooooooooooo!