20 janeiro 2006

Carta a outro Pai






















Pai, não sei se te lembras de mim... mas sabes, eu lembro-me do teu rosto, do teu sorriso, de quando brincavas comigo e me punhas às cavalitas, lembro-me daquele jogo de futebol, aquele a que prometeste levar-me mas que nunca fomos, não deves ter tido tempo, é isso... eu sei que és um homem muito ocupado, mas eu tenho saudades tuas!
Se calhar achas que agora tenho outro Pai, porque a Mãe voltou a casar, mas não Pai! Não!
Sabes Pai, eu gostava de saber onde vives ou então que desses o teu número de telefone à Mãe, para eu poder ligar e falar contigo...
Sabes... eu tenho muitas saudades tuas, embora sendo ainda pequeno, tenho apesar de tudo memórias tuas, sério! talvez penses que nem me lembro de ti... mas não!
Sabes... tenho muitos pesadelos de noite, sonho contigo, choro, grito... sonho que uns ladrões te estão a levar e que por isso não podes vir ter comigo, é isso Pai?
Pai... tenta-te soltar desses ladrões, para me poderes vir ver, tenho tantas saudades tuas, penso tanto em ti... esses ladrões devem ser muito maus! Eles roubam o tempo...

Há Pais assim...

Escrevo isto em nome de alguém, que embora não sendo "meu", não me consegue deixar indiferente.


imagem: images.com

25 comentários:

Anónimo disse...

Ser pai é ter coragem
De assumir alguém
que não pediu para nascer
Ser pai é ser Amigo
De alguém que nos orgulha ver crescer

Ser pai é participar,
Ser pai é compartilhar,
Ser pai é ser conivente.
É dividir emoções,
Multiplicar afeições,
É estar sempre presente.

Ser pai é não ver empecilho,
É acompanhar o filho,
Na trajectória da vida,
É ser mais que autuante,
É ser criança crescida.

Ser pai é ser destemido,
É não fugir do perigo,
É dar apoio constante,
É ser amigo, parceiro,
É ser mais que companheiro
A todo e qualquer instante.

Ser pai é orientar,
É saber dialogar,
Deixar o amor fluir,
É ser herói, ser vilão,
Ter dentro do coração
O dom de saber ouvir.

É aos filhos educar,
Ensiná-los a amar
Sem tabu, sem preconceitos.
Ser pai é dar instrução,
Conduzi-los pelas mãos
A um mundo mais perfeito

Também há pais assim !!!
Um dia, quem sabe…

Beijos JM

stela disse...

JM:
Eu sei que também há Pais assim! e ainda bem!
Mas também os há assim... por isso escrevi, o que sinto por estes menos "felizes"!
Um dia... eu sei!
bjs

Insolente disse...

os há assim sem duvida roubados pelo emprego ou por qualquer outra situação... por vezes não têm outra hipótese porque quero acreditar que se tivessem não seriam assim... ora entao um grande bem haja

Sebastião disse...

Muito triste. Mas infelizmente é uma realidade cada vez mais presente nas familias de hoje.
Beijinhos do Bebé Sebastião

Sebastião disse...

O Sebastião tem 14 lindos mesinhos.
Beijinhos

Ana Luísa disse...

Olá Stela. Nem sei o que diga... Principalmente porque vivo com um "pai" que teve um pai como o que aqui descreves... Talvez por isso mesmo ele nunca se esqueça do filho e faça questão de estar com ele, nem que seja de 15 em 15 dias e nos dias de "festa", aniversários, início da escola...
Mas nem sabem onde é que ele vive?... Se ele 'refez' a sua vida também pode ter outras influências... não sei... e desculpa o longo texto!
Beijinhos, e faço votos para que se voltem a reencontrar...

terragel disse...

STELA, admiro muito o teu espírito brilhante e criativo com que nos oferece coisas tão lindas na bandeja de ouro de teu blog, elaborado com talento e amor.
Quero brindar por isso e pelo enriquecimento que trazes a minha vida.
Espero que continues a espalhar o mel de teu delicioso coração.
Bjs

stela disse...

Insolente:
O tempo fazemos nós... sei que é frase feita, também sei que é dificil, mas quando se chega a um ponto destes, nunca pode ser por falta de hipóteses. Afinal, não nos podemos esquecer que somos responsáveis por aqueles que trazemos ao mundo e que nada pediram... o mínimo que podemos fazer por eles é não os tornar infelizes!
Gostei da tua visita
Bjs

Sebastião:
Sim, muito triste...
beijinhos


Ana Luísa:
Sabes, por vezes a relação, ex-marido/ex-mulher, acaba por ter muitas influências no futuro relacionamento com os filhos. Os Pais muitas das vezes não têm a força que supostamente deveriam ter, para separar as duas coisas... às vezes dá resultados iguais ao deste triste texto, infelizmente uma realidade que conheço...
bjs grandes!

P.S. A barrigona é para quando? Vá! estou aqui a torcer por ti!


Terragel:
Que lindo comentário! Muito Obrigada! Isso quase dava um Post! :-)
Quando vieres a Portugal, diz qualquer coisa! Já te "ouvi" dizer que estás as pensar em vir cá...
bjs grandes

palavrinhas disse...

Eu tenho um pai assim...
O teu texto tocou-me profundamente...

Obrigada pela visita ao www.pazlavras.blogspot.com.

Volta...

Um beijinho apalavrado...

OnlyMe disse...

Olá ... obrigada pele visita ao meu blog! Pois Alvor é uma bonita terra, sabe bem ao fim-de-semana ir lá pasear e observar as belas paisagens!

Fica bem

Anónimo disse...

O teu texto é perturbador mas infelizmente real em muitos casos.

Há coisas que marcam toda uma vida
E a ausência dum Pai é com certeza uma delas,
Mas quando essa ausência é por opção do próprio Pai ou da Mãe
Essa marca será infinitamente dolorosa.
Como é possível alguns pais considerarem os filhos descartáveis
consoante as suas decisões sentimentais,
Como é possível esquecerem os filhos porque mudaram de vida,
Mas que vida é essa que tanto procuram quando esquecem os seus filhos?
Algo impossível de entender e de aceitar. Não existe qualquer justificação,
além de serem pessoas desprovidas e castradas de sentimentos.
São com certeza pessoas infelizes que pela sua irresponsabilidade,
irão também fazer os seus filhos temporariamente infelizes.
Como seria aconselhável castrar na sua totalidade estes senhores,
para que eles se lembrassem do significado do Amor.

Bjs
Ass: Eternamente Apaixonada

stela disse...

palavrinhas:
infelizmente, há muitos Pais assim...
bjs

onlyme:
sim, sem dúvida, mas já não é o Alvor que conheci em tempos... agora cada vez com mais gente e a crescer de uma forma assustadora.
bjs

Eternamente Apaixonada:
Concordo contigo em tudo!
Deve ser por sermos as duas Apaixonadas! :-) (um sorriso para esbater a tristeza...)
bjs

mixtu disse...

há pais assim, adorei o texto
jinhos

stela disse...

mixtu:
Obrigada pela visita!
Volta sempre!
bjs

badger disse...

Um Texto muito profundo..... e belo!!

Parabéns...

Anónimo disse...

Obrigado pelas palavras, deixo um abraço...


http://osaldanossapele.blogs.sapo.pt

Ana Luísa disse...

Olá Stela! A barrigona ainda não sei para quando é... Neste momento o meu organismo anda a (tentar) voltar à "normalidade", he!he, pois já nem sei a quantas ando ;)! Mas prometo que o(a)s amigo(a)s da blogosfera serão os primeiros a saber quando acontecer :)
beijinhos e obrigada pelo interesse.

Reflexos disse...

Stela, querida Amiga,

Um texto triste sem dúvida, no entanto permite-me comentar:

Serão só os Pais que não têm tempo e espaço para os filhos? E quando são as Mães? E quando são as Mães que se divorciam dos filhos também?

Desculpa puxar este assunto aqui no teu blog, mas vivemos num mundo muito estranho em que todos os principios estão invertidos, não é normal os homens abandonarem os filhos, no entanto, a grande anormalidade dos nossos dias, é as mulheres abandonarem-os, também...

Talvez uma carta de um filho para a outra Mãe, não exista, talvez a dor e a saudade por serem tão grandes as palavras calem-se!

É inconcebivel, mas também há "Mães" assim...

Beijos

Misty disse...

Querida Amiga,

Tinhas razão!
Tinha de ler o teu blog, mesmo!
É uma carta tristíssima.
Deus queira que nunca sejam as palavras dos meus filhos! Deus queira que eu saiba dar-lhes outras linhas para que escrevam palavras.

Um beijinho!

Misty disse...

P.s. - Sou eu, sou!
:)

Yardbird disse...

Não entendo o pai/mãe que tem o coração fechado para o filho. E vice-versa também é verdade, Stela. Não acredito na felicidade de alguém que fecha o coração
Beijinho meu

stela disse...

a todos:
acredito qu existem Pais e Mães, que aparentemente vivem bem assim, o que lhes vai lá dentro, o que sentem, não sei! Sentiram alguma coisa? Talvez...
beijos a todos

Rita disse...

É lamentável que hajam tantas histórias como esta que relatas...

SoNosCredita disse...

lindo e comovente...

SoNosCredita disse...

lindo e comovente...